O difícil ato de decidir!

0 Postado por - 13 de janeiro de 2016 - Elias Awad, Estratégias Empresariais

“Você precisa tomar uma decisão!” Ouvir isso causa arrepios, calafrios, dor de estômago, desconforto… e medo! Efetivamente, talvez essa seja uma das provas mais difíceis para se levar nota 10! Uma nota 10 com louvor então…

Nessa minha trajetória de biógrafo, convivo diariamente com o ato de decidir. Eu decido que pergunta fazer, que condução de entrevista seguir, que estilo e estrutura editorial adotar, onde cada pedaço da história vai entrar… Posso também assegurar que um dos tais “segredos do sucesso” dos empreendedores com os quais eu tive o privilégio de conviver e de biografar é a segurança no hábito, no ato de decidir! E quanto mais esse ato se torna constante, mais seguros, proativos e assertivos eles ficam.

Aliás, faço aqui uma referência a uma das principais “indústrias” de heróis e vilões: o futebol! E essa inversão de conceitos acontece, certamente, atrás dos resultados das decisões de cada um. Lembro-me de que quando eu ainda era repórter esportivo, no início dos anos 2000, o técnico Luís Felipe Scolari, acostumado a dirigir equipes de futebol que disputavam dois ou três campeonatos simultâneos, dentro e fora do Brasil, assumiu a seleção brasileira que disputaria a Copa de 2002. Ele confidenciou-me: “O que mais me incomoda em ser técnico da seleção é deixar de praticar diariamente o ato de decidir. Como técnico de clube de futebol eu convivo com o meu grupo e treinamos diariamente. Além disso, jogamos pelo menos duas vezes por semana. Isso significa que sempre há uma decisão a tomar.

Agora, como técnico de seleção, eu convoco, me reúno com o grupo e jogamos uma vez a cada um ou dois meses e, na maior parte do tempo, ao invés de decidir, eu observo”. E lembrem-se: através das decisões que tomou na carreira, o “herói” e campeão mundial de 2002, “Felipão”, transformou-se na Copa de 2014 em “Felipinho”, o “vilão” e responsável direto pela derrota para a Alemanha por 7 a 1.

Sim… decidir é como um exercício! Quanto mais se pratica, melhor e mais preciso se fica. E não devemos ter medo de decidir! Pense comigo: você é um empresário competente, com base teórica e com experiência e vivência na carreira. Então, por que temer decidir? A decisão leva a dois caminhos: acertar ou errar. O acerto lhe trará os “louros” da vitória. O erro poderá ser fatal! Mas quando acontece o erro, aí cabe outra decisão importante: O que fazer? Persistir ou recuar? Persistir, recuar ou enxergar a oportunidade criada através do erro?

Sim, mesmo que isso seja exceção à regra, erros podem se tornar grandes oportunidades. Vou aqui dar um saboroso exemplo. Você conhece aquela torta de maçã, tão tradicional na culinária francesa e que conquistou o mundo? Chama-se Tarte Tartin, também conhecida por “torta invertida”.

Esse é um dos mais famosos “erros de sucesso” na história da culinária mundial, provocado pela talentosa e desatenta cozinheira Stéphanie Tartin. Com a irmã Caroline, exímia administradora, havia herdado um hotel e restaurante. Stéphanie, bastante tagarela, distraia- se facilmente. Certa vez, por descuido, ela colocou a assadeira com as maçãs e o açúcar no forno e, ao retirá-las, viu que estavam caramelizadas, mas sem a massa. Na tentativa de “salvar” o recheio, ela cobriu com massa e retornou a “suposta” sobremesa ao forno. Quem, em sã consciência, faria isso? Stéphanie Tartin! Minutos depois, a torta pronta foi servida aos clientes. Quem comeu, aprovou, voltou, pediu mais e espalhou a notícia… Desse “erro” culinário nasceu uma das sobremesas mais apreciadas no mundo.

Portanto, as decisões fazem parte das nossas vidas. São quase que uma necessidade fisiológica. Decidimos sobre tudo: que hora acordar, que rotina seguir, que caminho percorrer, que carreira trilhar, que curso fazer, que emprego aceitar, quem demitir ou contratar, quanto investir, com quem namorar, casar… Ufa! Ficaria aqui por horas ou dias apresentando situações em que nosso poder de decisão é fundamental!

O único alerta é: Decida com segurança! Coloque no seu poder de decisão todos os ingredientes, como conhecimento, feeling, pesquisa, análise, entre outros, que você acumulou na sua vida. Mas tenha em mente algo muito importante: Trajetórias de fracasso são construídas por pessoas que erram muito mais do que acertam em suas decisões; trajetórias de sucesso são construídas por pessoas que acertam muito mais do que erram em suas decisões!

Decida, então, em qual time você quer jogar!

 Elias Awad


Comments

comments

Sem comentários

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: